VOLTAR                Dicas e técnicas ensinadas nas apostilas 1 e 2 - Noivinhos personalizados em biscuit Flávia Pina                        

001 - A primeira etapa na confecção de qualquer escultura é o estudo da posição. As apostilas ensinam como desenhar, a silhueta da escultura na posição de movimento sobre o isopor.

 

002 – Ensina como cortar o isopor, com que ferramenta, como utilizá-la e os cuidados a serem tomados de modo a não quebrar o esqueleto da escultura.

 

003 – Mostra como conseguir o formato tridimensional por meio dos cortes dos desenhos no isopor, resultando  na sensação de movimento da peça.

 

004 – Orienta quanto às espessuras e acréscimos das partes do corpo para que resulte na cor e nos contornos naturais das esculturas.

 

005 – Ensina como fortalecer a estrutura do esqueleto para obter uma escultura resistente e fácil de ser manipulada.

 

006 – A parte de cobertura do esqueleto com massa de biscuit ( Massa comum ) e o seu alisamento são ensinados com todos os segredos de modo a resultar numa escultura lisinha e sem emendas.

 

007 – A secagem é parte muito importante. Portanto é sempre dado ênfase no “quando” e o “quanto secar” durante todo o processo de modelagem.

 
 

008 – Preparação das cores de pele e cuidados para não fugir da tonalidade.

 

009 – Locais do corpo que merecem cuidados nos torneamentos, como músculos, etc...

 
 

010 – Desenho das peças das roupas para vestir o esqueleto.

 

011 – Estado de secagem da massa esticada de modo a permitir o corte da peça de roupa e o perfeito ajuste da mesma ao corpo do boneco.

 
 

012 – Dica de estado de secagem para possibilitar o alisamento e eliminação de defeitos nas peças de roupa.

 
 

013 – Cortes, divisões e entalhes  na massa esticada permitindo obter um aspecto natural ao vestir a roupa.

 

014 – Quando usar ou não a cola para aderir a roupa ao boneco e necessidade de secagem forçada.

 

015 – Como corrigir os defeitos de emendas, imperfeições e alisar as peças das roupas.

 
 

016 – Complementação com massa para corrigir anatomia dos ombros, dorso e colar cabeça ao corpo do esqueleto.Correção da posição para estar de acordo com o movimento desejado.

 

17 – MEIAS e TÊNIS:

a) Corte e modelagem da meia.

b) Uso ou não de cola para prender as meias.

c) Estado de secagem para aplicar as meias.

d) Modelagem dos tênis – todas as partes, inclusive o solado, fecho de velcro e costuras.

 

018 – BRAÇOS e MÃOS:

a) Cuidados com a secagem para evitar rachaduras durante a modelagem.

b) Proporções entre as partes.

c) Modelando pulsos, cotovelos, palmas das mãos, dedos e unhas.

 

019 – VESTINDO O TERNO

a) Prendendo os braços do ciclista no corpo na posição natural permitindo ajustes.

b) Corte dos feitios das peças do terno: gola, camisa, punhos, corpo do paletó, colete, mangas do paletó e gravata.

c) Secagem diferenciada das peças para facilitar o trabalho ao vestir o ciclista.

d) Prendendo cada uma das peças no corpo do ciclista: locais onde se deve passar cola, para ter aspecto natural.

e) Colocar o colete e criar as dobras e ondulações naturais.

f) Cortando , moldando e aplicando a gravata.

g) Idem com punhos e colarinho.

h)Vestindo o paletó com os recortes necessários para montagem e caimento. Locais onde se deve passar cola.

i) Como vestir as mangas do paletó e criar as dobras naturais no cotovelo.

j) Dicas para prender os braços já vestidos para dar posição de movimento ao ciclista.

l) Como dar formato anatômico aos ombros, ombreiras, costas e eliminar imperfeições e emendas no paletó.

 

020 – Pinturas: Bermudas e tênis

 

021 – Aplicando botões no colete

 

022 – Colocando a gola do paletó

 

023 – Ornamentando a gravata com cristal

 

024 – Tatuagens – dicas